Bikes e o novo mundo digital

Como a tecnologia vai mudar o universo das bikes? Sabemos que isso já está ocorrendo a todo vapor com os automóveis. E as bicicletas? Onde entram nesta história?

Procuramos as pessoas que estão absolutamente conectadas com o tema, como Fabio Hermann, de uma agência de marketing digital em São Paulo, diz que tudo será revirado de cabeça pra baixo, inclusive as bikes. Segundo ele, os gadgets digitais vão controlar tudo, e as bicicletas também vão entrar neste circuito. Tudo será controlado, medido, medido e medido.

E isso vai ser divertido? Não sabemos. Será tecnológico, isso sim. Nada a ver com o Monty Python. Não será engraçado para nada. Engraçado? É, por que não? Este futuro terá tudo a ver com mobilidade, transporte, tecnologia e capacidade de avançar. Roupas tecnológicas, os chamados wearables, também vão substituir as atuais roupas dos ciclistas, esportistas ou não. E os pedais? Ah, os pedais. Serão eletrônicos, automáticos, com encaixe filosoficamente adaptados para cada usuário. Cada domingo poderá ser diferente e isso vai mudar a relação cultural da sociedade com as bicicletas, as famosas magrelas.

Esta invenção simples e espetacular mudou como o homem encara o mundo. Trouxe mais dinamismo à vida social e literalmente alargou as possibilidades de cada pessoa. Elas aumentaram de fato o mundo de cada pessoa, uma mudança absurdamente incrível. É verdadeiramente uma roda viva gigante, que é cada vez maior e maior. Cada cena muda e muda constantemente, cada quadro é de uma maneira, de uma forma diferente. E as bikes tem muito a ver com este processo. Tudo mudou com a internet e as novas tecnologias.

Segundo os especialistas dos setores de tecnologia e das novas gerações, como a agencia de marketing digital sp que lidera projetos engajados com as novas tecnologias, é um caminho sem volta. E isso é muito bom para as bicicletas, isso porque o status ligados aos carrros e motos, por exemplo, serão reduzidos e muito. É um processo novo, mas que representa uma espécie de volta ao passado. O futuro vai responder como tudo irá de fato acontecer, mas podemos conjecturar livremente. Afinal, o Brasil ainda é um país livre e esperamos continuar assim.

A construção deste novo futuro, que está muito muito próximo, está ocorrendo já, hoje mesmo. Devemos ter avanços muito grandes até 2025, quando o Brasil estará em franca evolução e em um processo de crescimento econômico e internacionalização econômica impressionante. Estaremos diante de uma certa encruzilhada. Vamos seguir ou parar, como sempre fazemos? Acho que a segunda opção é a mais viável. Segundo o pessoal que entende tudo do assunto, as bicicletas, os velocípedes estão com tudo, como nunca antes na história deste país, como diria o outro. Rodas grandes, pequenas, com ou sem motores, elétricas ou não. Enfim, só sabemos que nada sabemos e nada saberemos. Vamos em frente que atrás vem gente.

Bikes e Conteúdo, intimamente ligados pelo marketing digital.

Bicicletas e conteúdo estão intimamente ligados. Isso não é um statement, é um fato. Acontece que os dois setores estão tentando se reinventar e por isso estão buscando parcerias como uma forma de encontrar um caminho sustentável.

De um lado, da arte, não dá mais para sobreviver de benefícios e incentivos do governo, que desapareceram. Do outro, do conteúdo, não dá mais para depender apenas de verbas publicitárias. Independentemente de qual é o modelo, a verdade é que estes dois setores precisam atrair primordialmente a atenção das pessoas. Pedro Hayward, da WP/N, agência de marketing digital sp, diz que o que importa é passar mais tempo com as pessoas. É tão simples quanto isso.

O advertising sempre buscou isso, de forma incessante. O tempo das pessoas é tudo e é isso que traz de fato receita para as atividades. Quanto mais tempo as pessoas passam com alguma coisa, mais dinheiro elas tendem a gastar esta coisa.

Mas qual é o papel do digital? É complementar, mas de forma protagonista. O digital ajuda a impulsionar o tempo que as pessoas despendem com as atividades acima mencionadas. Ele é uma referência dominante na vida das pessoas, ajuda a dirigir a atenção delas. Por essas e por outras, a agência de conteúdo afirma e reafirma que os setores devem se aliar ao digital, não o contrário. Ele é uma companhia que veio para ficar e dominar. Os outros que se adaptem, e rápido. O melhor, ou pior, depende do ponto de vista, ainda está por vir. As mulheres e homens que comandam estes setores estão tentando buscar soluções, mas teimam em utilizar as mesmas táticas do passado. Isso não trará frutos.

Segundo a agência digital mais renomada da América Latina, a WP/N, este é um caminho sem volta e os setores devem se adaptar trazendo gente nova, uma mentalidade digital, que veio para ficar e disrupt todos os setores durante as próximas décadas. É apenas o início da era em que os conteúdos e a arte vão compor uma trajetória bastante similar, com muito simbiose e sempre buscando conquistar o tempo, a atenção, o amor das pessoas. Isso, por alguma, razão, se perdeu e os setores buscam lutar contra a obsolescência. Hoje, a mensagem é clara e ao invés de se esconder os líderes dos setores em questão devem assumir a responsabilidade e retomar o protagonismo cultural que todo este jogo social representa.

A bola está nas mãos dos executivos. Como diria um locutor famoso: Temos um jogo. É dever criar as bases para garantir o futuro do setor, sem depender de incentivos e benesses de quem quer que seja. É pensar adiante e seguir em frente que atrás vem gente.

Bicicletas e distribuição de peças

Difícil achar sua peça? No mercado de bicicletas, diferentemente do mercado de autopeças, os consumidores têm tarefa bem mais árdua e complicada de encontrar a reposição adequada que atenda as necessidades de conserto das magrelas.

Toda a indústria automobilística tem uma  estrutura bilionária para atender este farto mercado. Existem milhares de empresas que abastecem o setor, que gera milhões de empregos em toda a cadeia do aftermarket automotivo. Existe de tudo: lojas, fábricas, distribuidoras, fornecedores de todo tipo, varejos, etc. O mundo inteiro abastece o mercado brasileiro, desde a China, passando pela Turquia e chegando aos produtores do Mercosul e finalmente brasileiros.

Sérgio, da Roles, a melhor distribuidora de peças do país, afirma que o melhor nacional é extremamente desenvolvido e competitivo. Aqui, existe o que há de melhor na reposição de peças no mundo, o nível é absolutamente alto.

distribuidora de peças

Já o mercado de bicicletas… É uma outra história, completamente outra. A reposição de peças para bicicletas é medíocre, para dizer o mínimo. Não existem lojas suficientes e muito menos marcas que atendam o mercado de forma ótima. Não existe competição suficiente. Algumas poucas marcas nacionais dominam as receitas simplesmente por não haver outras opções. E por que isso ocorre? É simples, o mercado brasileiro é fechado, é estupidamente protegido por tarifas de importação abusivas. Isso torna a entrada de grandes e boas marcas internacionais praticamente impossível. No final, quem paga o pato é o consumidor brasileiro.

A verdade é que o mercado de peças para bicicletas, diferentemente do mercado de distribuidora de peças de moto, está na década de 80, a conhecida década perdida. As poucas e ultrapassadas indústrias do Brasil fazem lobby no congresso para manter exageradamente altas as taxas de importação. Assim, elas criam um oásis no país que só traz benefício para elas mesmas. É mais um mercado onde o atraso segue por meio de uma política burra e protecionista.

E o pior, não há perspectivas. Por isso, muitos cidadãos têm tentado trazer o máximo que podem de peças e bicicletas do exterior, fazendo pedidos para amigos e conhecidos. Ao que parece a indústria nacional e o governo vão continuar fazendo vistas grossas e nós continuaremos tentando sair da mesmice de um mercado preguiçoso e oneroso, que faz questão de viver no mundo da Lua. Tal situação é ainda mais caótica em um cenário de crescimento exponencial, advindo da criação de ciclovias por todo o país e pelo fato de as bikes voltarem a estar em voga na sociedade contemporânea. Em todos os outros países do mundo, andar de bicicleta é um bom sinal, um sinal de desenvolvimento econômico e social. Ao que parece não é o que o lobby político quer. Esperemos que este seja um caminho inevitável.

distribuidora de peças automotivas

Óculos de realidade virtual

Picou o pacote em milhares de pedaços com seus dedos de tesoura. A empolgação não se contia em seu rosto. Nos pequenos fragmentos abandonados no chão frio de mármore colonial jaziam as palavras que um dia iconizavam a embalagem de seu novo brinquedo: Modelo oculos para rosto tipo redondo Virtuais 5000. Não tinha tempo para ler 500 páginas do manual, simplesmente tinha que ver o mundo incrível por trás daquelas lentes. Vestiu o novo óculos e apertou o play. As luzes surgiram realizando uma dança de flashes, mas de repente uma delas brilhou e sugou seus olhos foram transportados para um outro universo, enquanto ele ficou ali.

De bike na rua

bike rua

A situação do trânsito nas grandes cidades do país é de verdadeiro caos. Faça sol ou faça chuva, não se tem mais horário para fugir dos congestionamentos – eles andam acontecendo em diferentes níveis por todo o país na maioria das horas do dia. A qualidade dos transportes públicos e sua superlotação tornam essa opção uma das últimas para quem tem um carro – afinal, melhor ficar ouvindo música no ar condicionado do que desafiar as leis da física com tanta gente em um lugar só.

Não é para menos que a  bicicleta é o veículo individual mais usado no território nacional. Trocar as quatro rodas por apenas duas por incrível que pareça pode te fazer chegar mais rápido em qualquer lugar, além de mais disposto e feliz. Não só porque para magrela o caminho é livre – a endorfina liberada pelo exercício físico tem esse efeito. Mas para se aventurar  pelas ruas é preciso alguns cuidados e preocupações.

bike rua

Além do capacete, a iluminação é um dos itens de segurança mais importantes, pois seu papel é essencial para os outros conseguirem te ver. Os refletivos, que a lei obriga a ter em todas as bicicletas, é de pouca ajuda – por isso use sempre luz branca na frente e vermelha atrás, assim os motoristas sabem rapidamente se você está indo ou vindo. Como a intensidade luminosa não é suficiente para se destacar com segurança, invista em uma luz piscante para atrair mais a atenção dos outros.

Quando estiver na rua, nunca ande na contra mão. Sempre que um pedestre vai atravessar ou um carro vai entrar numa rua, eles olham para onde o fluxo está vindo – e alguém aparecer na contramão é sempre uma surpresa. Além disso, a velocidade que você se aproxima de um carro é muito maior se estiver na contramão, por ser a soma da velocidade dos dois veículos.

Bicicleta para sua saúde

bicicleta saude

Cuidar da própria saúde e do meio ambiente ao mesmo tempo parece uma coisa meio distante, quase utópica. Entretanto, para um estudante de engenharia da PUC, isso se tornou meta de estudos e de produção. Gustavo Soares Tonucci desenvolveu, por conta própria,um protótipo de bicicleta estacionária, capaz de gerar eletricidade sem causar nenhum tipo de poluição. Em resumo, a ideia de Gustavo Tonucci fez com que a sua pedalada fosse mais limpa e eficiente.

Entre vários itens necessários para construir sua bicicleta, o principal deles é uma bateria veicular do mesmo modelo dessas utilizadas em carros comuns de passeio. Ela é instalada na parte dianteira da bike e acumula a energia mecânica gerada por meio das pedaladas. Essa energia mecânica, por sua vez, é transformada em energia elétrica, o que possibilita que ela seja usada para conectar eletrônicos e eletrodomésticos de pequeno porte, como celulares, liquidificadores, batedeiras, equipamentos de som, entre outros. “A geração de energia está diretamente ligada à capacidade física da pessoa que está pedalando. Quanto maior a velocidade angular (rotações), maior a rotação da pedalada e, consequentemente, maior será a rotação do alternador, gerando, assim, uma maior quantidade de energia, que será acumulada na bateria”, explicou Gustavo durante a apresentação do projeto, ocorrida durante a 7ª edição da Mostra Tecnológica do Instituto Politécnico (Ipuc) da PUC Minas.

bicicleta saude

Para construir a engenhoca, Gustavo usou uma tradicional Monark, do modelo Barra Forte, desenvolvida na década de 80. O maior diferencial da sua criação, segundo ele próprio, está na possibilidade de o sistema bateria-alternador ser montado numa bicicleta, o que facilita o transporte e ocupa o menor espaço possível se for comparado com outro veículo. Ele explica que o projeto foi muito desafiador, mas a maior dificuldade estava em pensar um sistema que provasse que, no momento da pedalada, seria gerada a energia elétrica. ” Para isso, foi acoplado, na bicicleta, um painel com cinco lâmpadas pequenas, que variam seu brilho de acordo com o ritmo da pedalada, indicando, com isso, a geração de energia”, diz.

Apesar concluir o processo, Gustavo ainda não pesquisou o tempo necessário para uma recarga completa, já que isso pode variar de acordo com cada usuário. Sua ambição é fazer com que sua criação se torne útil como fonte de geração onde não há redes de energia elétrica e que ela possa ser usada, por exemplo, em salas de spinning a céu aberto. Tomara que ele consiga.

Bicicleta: recursos naturais

Nos últimos tempos, os recursos naturais estão dando fortes sinais de escassez. Falta de água em várias partes do país e os famosos “apagões”, que são quedas na energia elétrica de uma grande parte da população de uma cidade ou região, têm sido cada vez mais comuns. Caso você não tenha acesso a um profissional você pode encontrar um eletricista no bicos. Por isso, algumas medidas são importantes para poupar, não só energia e água, mas dinheiro também.

Uma das dicas mais importantes na hora de economizar energia elétrica é saber quais são os aparelhos eletrônicos que mais consomem e como é feito o cálculo da conta de luz. Essa é a maneira mais eficaz de detectar possíveis erros nas contas, sabotagens (os chamados “gatos”) ou ainda uso desconhecido (por filhos, familiares).

recursos natura

Mas como descobrir o consumo de um aparelho?

Normalmente os aparelhos eletrônicos possuem uma indicação de potência, por exemplo 1000watts ou 1000W.

Caso você tenha um aparelho que consuma 1000W ou 1kW, e ele ficar ligado durante uma hora, você terá um consumo de 1kWh. Assim, se durante 30 dias do mês ele ficar ligado durante duas horas, você terá um consumo de 1kW vezes 30 dias vezes 2 horas = 60kWh.

Se ele ficar ligado 20 dias, 2 horas por dia terá um consumo de 40kWh. Pois basta multiplicar o consumo diário pelo número de dias ligados no mês.

Entre os aparelhos que têm em média 1kW estão o ar-condicionado de 7.500 btu, um cortador de grama grande, um ferro elétrico automático e uma fritadeira elétrica.

E como saber quanto isso vai custar na minha conta?

Em todas as contas de luz existem um valor chamado de kilowatt-hora, que, para residências, é de aproximadamente R$0,30. Assim, para calcular quanto pagará pelo consumo, multiplique o valor mensal por esse valor.

Exemplo: 60kwh vezes 0,30 = R$ 18,00

Portanto, este aparelho consome R$ 18,00 se ficar em uso por 30 dias, 2 horas por dia.

Lembre-se que esse valor de consumo é para quando o aparelho está ligado. Aparelhos na tomada, porém desligados, consomem uma minúscula quantia de energia, mas também consomem.

Saber fazer os cálculos pode ajudar, mas não resolve todos os seus problemas. Caso exista algum defeito que desperdice energia elétrica, ou até o uso clandestino, a melhor solução vai estar nas mãos de um profissional experiente. Para encontrar os melhores eletricistas da sua região dê um basta no desperdício!

Na plataforma você pode filtrar sua busca por especialidades e ainda ver a avaliação de quem já contratou os serviços de cada profissional. Você também pode baixar o aplicativo e fazer tudo isso usando apenas o celular.

Prêmio Brasil Olímpico

O prêmio Brasil Olímpico seleciona atletas de diversas modalidades, indicando os nomes que mais se destacaram. O legal do prêmio, é que os representantes de esportes menos tradicionais/populares, ganham chance e se tornam protagonistas. Por exemplo, em 2014, na 16ª edição da premiação, os grandes destaques foram: Arthur Zanetti, campeão olímpico nas argolas (venceu a categoria masculina), a dupla Martine Grael e Kahena Kunze, da vela (venceram na categoria feminina).

Outra premiada foi a ginasta, Flávia Saraiva, que ganhou o prêmio “Atleta da Torcida”. Nessa categoria, o COB selecionou esportistas que marcaram o esporte nacional, seja por performance, superação, conquistas inéditas ou conduta esportiva. Depois disso o voto passa a ser público, onde qualquer um poderia votar através das mídias sociais.

Vídeo do youtube

A bicicleta na sua casa

bicicleta casa

Nada pior do que ter alguma coisa em casa sem funcionar, não é? Televisão quebrada, chuveiro que não esquenta, torneira pingando, porta rangendo, parede cheia de umidade. Pior que isso tudo só mesmo a tentativa frustrada de consertar alguma dessas coisas.  Nessas horas, parece que todo mundo desaparece. Nenhum amigo pode ajudar ou sabe como resolver seus problemas. Por isso, ninguém melhor do que o verdadeiro profissional para acabar com o sofrimento e deixar tudo novo em folha, por um preço justo e sem grandes dores de cabeça.

E é no Bicos Online que você encontra essa mão amiga que tanto precisa. Por meio de um cadastro simples, é possível ter acesso a uma série de profissionais, como chaveiro, eletricista, encanador, pintor, marceneiro, jardineiro e pedreiro. Para não ter nenhuma surpresa desagradável, você pode acompanhar a opinião de outras pessoas que contrataram os serviços de cada um desses profissionais. O Guilherme Rios, por exemplo, precisava de uma diarista em são paulo encanador e não conhecia nenhum. Depois de entrar no Bicos Online, ele disse que contratou um ótimo profissional. “Gostei muito, vou usar sempre”, disse, em depoimento.

bicicleta casa

Depois de acabar com aquele mau contato no aparelho de som e de resolver aquela goteira, nada como dar uma festa para comemorar. Mas calma que isso não vai te dar trabalho nenhum. Na plataforma, na aba de Festas,  é possível contratar serviços de churrasqueiro, DJ, garçom e barman. Chame também um cabeleireiro e uma manicure para dar aquela melhorada no visual e aproveite a casa novinha em folha com aqueles seus amigos que andaram meio sumidos!

E se depois da comemoração não sobrar ninguém para te ajudar na limpeza, no Bicos Online você encontra as melhores diaristas e ajudantes de serviços gerais. Não perca mais tempo, cadastre-se gratuitamente e comece agora a procurar pelos melhores profissionais do mercado.

Esportes + Bicicletas

O momento em que você aprende a andar de bicicleta, fica marcado na memória pelo resto da vida. Quem não se lembra da primeira vez que tirou as “rodinhas” e saiu pedalando por ai?  Foi aí que você passou a entender famosa expressão: “é que nem aprender a andar de bicicleta, a gente nunca esquece”.

esporte bilicleta bike

Bom, a gente não esqueceu da sensação de liberdade que as magrelas nos proporcionam, por isso, esse site é dedicado aos esportes, mais especificamente, os que envolvem bikes. É claro que também vamos falar de outros assuntos como a importância das duas rodas como meio de transporte, assunto que vem crescendo bastante, sendo discutido nas principais metrópoles e cidades com trânsito excessivo. Vamos debater e trazer os pontos mais importantes sobre as bicicletas.

Os esportes com bicicleta vem ganhando força em todo o mundo. Modalidades como o bicicross e o downhill conquistam cada vez mais fãs de esportes radicais, inclusive com atletas brasileiros. Além disso, existem também as provas mais tradicionais, como o “tour de France”, “Giro D’Italia” e “Vuelta a España” que são muito famosas e muito prestigiadas em outros países, mas ainda são muito pouco conhecidas por aqui.

O Brasil chegou inclusive a virar sede de duas etapas do L’Étepe du Tuor, o evento para amadores da maior prova de ciclismo do mundo, o Tour de France. A primeira acontecerá em Cunha (SP), no dia 25 de outubro, com até 3.000 participantes e a outra em Recife (PE), no mês de março. Essas cidades foram escolhidas por questões geográficas, políticas e pelo número de moradores com bicicleta. A versão para “amadores” foi inventada em 1993, após uma demanda cada vez maior de ciclistas que gostariam de participar do Tour de France, restrita aos 200 melhores atletas do mundo.

Transito nas cidades

transito cidade

O trânsito nas cidades é um dos grandes problemas de mobilidade em todo o mundo. Com o aumento de concentração da população nos meios urbanos, esse caos tende a aumentar, sendo que a maior fábrica do mundo produz cerca de um carro a cada dez segundos.

A principal arma contra os engarrafamentos são as bicicletas. Grandes cidades ao redor do globo tem investido bastante em ciclovias. Elas combatem a emissão de gases e a poluição sonora, além de ocupar poucos espaços e uma opção mais saudável. Por todos esses motivos, o movimento das duas rodas vem entrando cada vez mais em pauta, ganhando mais espaço nas ruas de metrópoles.

Veja o vídeo em:

https://www.youtube.com/watch?v=iICYnQQg_JY

Sobre Bicicletas

A bicicleta foi inventada no século 19 na Europa, sendo que desde então ela teve um impacto histórico e cultural inestimável no mundo todo, revolucionando não só a tecnologia e o transporte como também aspectos sociais e recreativos do ser humano.

Durante muitas décadas a bicicleta foi usada como brinquedo para criança, uso policial e militar, pelos correios, para exercícios físicos e competições esportivas, sendo que em muitos locais do mundo ainda é o veículo e meio de transporte predominante. Na verdade de acordo com um levantamento feito em 2003 mais de um bilhão de bicicletas haviam sido construídas mundialmente até o momento, um número maior do que o dobro de carros existente até então.

Desde a sua criação em 1885 o veículo passou por diversas mudanças no seu design e estilo, se adequando a novas tecnologias e localidades. Uma evolução com mais de 20 anos levou a criação da bicicleta como conhecemos, com diversos inventores de partes diferentes do mundo criando e mudando modelos para se adequar aos seus estilos e aos avanços feitos pela tecnologia do mundo, incorporando novos matérias e designs que valorizavam a velocidade, peso e ergometria dos veículos.

Na verdade as bicicletas foram tão inovadoras em seus sistemas de transporte que são as responsáveis pela criação e melhoria de diversas peças essenciais dos automóveis, como pneus verdadeiramente pneumáticos e rodas com aros internos.

Apesar disso parece constante existir uma competição entre ciclistas e motoristas de carros, fazendo com que ambos disputem espaço nas ruas. Com o passar dos anos diversos países da Europa tem incentivado o uso de bicicletas como um meio de transporte alternativo, principalmente nas áreas mais antigas ou de grande transito como os centros de suas cidades. Recentemente o Brasil tem aderido cada vez mais a essa tendência com as ciclovias, faixas destinadas a bicicletas, indo além das cidades costeiras e marcando presença em grandes metrópoles como São Paulo.