Bicicletas e distribuição de peças

Difícil achar sua peça? No mercado de bicicletas, diferentemente do mercado de autopeças, os consumidores têm tarefa bem mais árdua e complicada de encontrar a reposição adequada que atenda as necessidades de conserto das magrelas.

Toda a indústria automobilística tem uma  estrutura bilionária para atender este farto mercado. Existem milhares de empresas que abastecem o setor, que gera milhões de empregos em toda a cadeia do aftermarket automotivo. Existe de tudo: lojas, fábricas, distribuidoras, fornecedores de todo tipo, varejos, etc. O mundo inteiro abastece o mercado brasileiro, desde a China, passando pela Turquia e chegando aos produtores do Mercosul e finalmente brasileiros.

Sérgio, da Roles, a melhor distribuidora de peças do país, afirma que o melhor nacional é extremamente desenvolvido e competitivo. Aqui, existe o que há de melhor na reposição de peças no mundo, o nível é absolutamente alto.

distribuidora de peças

Já o mercado de bicicletas… É uma outra história, completamente outra. A reposição de peças para bicicletas é medíocre, para dizer o mínimo. Não existem lojas suficientes e muito menos marcas que atendam o mercado de forma ótima. Não existe competição suficiente. Algumas poucas marcas nacionais dominam as receitas simplesmente por não haver outras opções. E por que isso ocorre? É simples, o mercado brasileiro é fechado, é estupidamente protegido por tarifas de importação abusivas. Isso torna a entrada de grandes e boas marcas internacionais praticamente impossível. No final, quem paga o pato é o consumidor brasileiro.

A verdade é que o mercado de peças para bicicletas, diferentemente do mercado de distribuidora de peças de moto, está na década de 80, a conhecida década perdida. As poucas e ultrapassadas indústrias do Brasil fazem lobby no congresso para manter exageradamente altas as taxas de importação. Assim, elas criam um oásis no país que só traz benefício para elas mesmas. É mais um mercado onde o atraso segue por meio de uma política burra e protecionista.

E o pior, não há perspectivas. Por isso, muitos cidadãos têm tentado trazer o máximo que podem de peças e bicicletas do exterior, fazendo pedidos para amigos e conhecidos. Ao que parece a indústria nacional e o governo vão continuar fazendo vistas grossas e nós continuaremos tentando sair da mesmice de um mercado preguiçoso e oneroso, que faz questão de viver no mundo da Lua. Tal situação é ainda mais caótica em um cenário de crescimento exponencial, advindo da criação de ciclovias por todo o país e pelo fato de as bikes voltarem a estar em voga na sociedade contemporânea. Em todos os outros países do mundo, andar de bicicleta é um bom sinal, um sinal de desenvolvimento econômico e social. Ao que parece não é o que o lobby político quer. Esperemos que este seja um caminho inevitável.

distribuidora de peças automotivas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *